Projeto Somos do Mar | CNPJ 30.703.134/0001-30 | © Todos os direitos reservados | 2018

(47) 9 9700 - 1180

SOBRE NÓS
O PROJETO

O Somos do Mar busca popularizar conhecimento sobre os oceanos e combater o lixo no mar disseminando práticas sustentáveis, de forma lúdica e criativa, unindo arte e ciência. O Somos do Mar atua nos mais diversos espaços, através de oficinas, vivências e intervenções artísticas.

QUEM SOMOS

Somos um casal, Rafael e Diulie! À procura de entregar algo de valor para o mundo, utilizando todo o nosso capital humano e criativo, criamos e desenvolvemos o Projeto Somos do Mar. A união de um oceanógrafo e uma engenheira ambiental, ambos artistas, resultou em uma forma de atuação diferenciada e com muita personalidade. Cada atividade que o projeto desenvolve foi meticulosamente elaborada, com base em experiências pessoais e conhecimento científico, além de muita, leia-se muita criatividade. Brincadeiras a parte, nossas atividades são lúdicas mas sem perder a qualidade das informações, almejando acessar o sensível das pessoas para então acessar o inteligível. O intuito maior é promover transformações internas, que resultem em mudanças de comportamento necessárias a conservação ambiental.

DIULIE TAVARES

Engenheira Ambiental

RAFAEL LANGELLA

Oceanógrafo

COMO TUDO COMEÇOU

Em 2014, a Diulie fez o trabalho de conclusão de curso de Eng. Ambiental, sobre lixo no mar e se apaixonou pelo tema, (agradecimentos a Msc. Camila Burigo). Obteve dados sobre o lixo na praia do Embrulho em Bombinhas -SC, tanto emersos, como submersos através de mergulho científico, fez análises quali-quantitativas, e assim calculou o potencial energético do material. Além disso, fez a análise da percepção ambiental dos usuários daquela praia, que era algo "extra" na pesquisa. Fato interessante, pois, foi ali que começou o contato com o lado socioambiental da questão, e ao longo daquele ano, outras oportunidades de atividade relacionadas a educação ambiental surgiram, e estas eram as que mais tocavam ao coração.

 

Depois de formada, foi para o mercado de trabalho e eis que acabou indo trabalhar na prefeitura de Bombinhas, alguns meses depois. Quando entrou, já imaginou tudo o que poderia fazer divulgando seus dados, sempre que podia dava uma mãozinha para o setor de educação ambiental. Mas na prática, não foi possível usar seu estudo para o bem comum. Foi vendo que a educação ambiental no geral estava um pouquinho apagada (não desmerecendo o trabalho, dos educadores, eles "tiram leite de pedra" com o que lhe és permitido) e começou a sonhar com uma educação ambiental inovadora. A vivência em um órgão público mudou sua vida para sempre! Chorou mergulhando vendo o mundo subaquático sendo resiliente, sabendo que haviam vazamento de esgotos e tantos outros problemas, resgatou na apneia uma tartaruga de uma rede de pesca, e conheceu um projeto lindo itinerante de educação ambiental. Cada um dos acontecimentos tinham sinais, que foram se tornando cada vez mais claros. O sonho estava instituído: ter um projeto de educação ambiental que unisse a paixão por viagem e o desejo de tornar o mundo melhor, especialmente contando para mais pessoas o problema do lixo no mar. Esse sonho foi ridicularizado por algumas pessoas (isso tem um nome e até um filme são os "exterminadores do futuro"), foi tido como sonho impossível, inclusive pela Diulie mesmo e então adormeceu.

Paralelo a isso Rafael estava na graduação de oceanografia, trabalhava com minerais e sempre foi um baita professor, aquela pessoa que sabe explicar qualquer coisa de um jeito acessível. Que tem um carisma que conquista todos que conhecem. Até um dado momento, o caminho era certo, um mestrado. Não se imaginava em outro local, afinal o mercado estava complicado para os oceanógrafos e ser professor universitário parecia ser a única direção. Mas, uma viagem de mochilão pelo nordeste, começou a mudar sua visão de mundo, Rafa sempre foi criativo e pensava fora da caixa, por vir de São Paulo e outras vivências, mas essa viagem mexeu lá dentro. Passou a ver muitas coisas diferentes, quebrou paradigmas, e vamos dizer assim, que voltou mais apaixonado por viagens e por si mesmo. Passou a deixar o cabelo crespo crescer e isso seria só o começo. 

Teve um tempo que o casal Diulie e Rafa estavam bem afastados, em parte, por que não viam um futuro em comum. Diulie estava passando por uma crise existencial, e Rafa estava no último ano de faculdade. Por pouco, Diulie não foi morar na Califórnia, sem horizontes na época essa parecia ser uma boa escolha. Porém os dois ainda eram muito conectados (amor, sabe), e Diulie resolveu não ir. Escreveu uma carta/email para o Rafa em que dizia que ele já era um serzinho fora da caixa - bora bolar um plano e ser feliz juntos!  O mestrado não vai te dar a vida que você imagina, ela dizia, somos jovens, a vida não pode ser só isso, trabalho e pagar conta. No começo o Rafa não entendia, estava em outra fase, mas logo isso foi chegando para ele. Agradecimentos ao Mata (Prof. José Matarezi - grande mestre que deu base a muito do que é o projeto hoje) que "resgatou" no Rafa algo que já havia nele, uma voz questionadora em busca de um mundo melhor. Foi então, que começou a atuar com educação ambiental (gratidão mais uma vez ao Mata e a também a Katia), desenvolveu instrumentos de ensino, e cada vez mais, queria popularizar a oceanografia para o mundo.

 

No decorrer do processo, existia uma voz invisível muito forte na cabeça da Diulie, que dizia: você ainda vai fazer algo! Em relação aos oceanos, ao meio ambiente, ao planeta. Tipo uma... missão. Mas e quem acredita nessas vozes? Somos uma poeira nesse mundo gigante, quem somos nós para sermos brilhantes? Mas os sinais estavam lá, não se podia negar...

Vamos encurtar a história, pois já está ficando longa demais (quem sabe mais detalhes desse percurso em um futuro livro). Foi então que começou a surgir pessoas inspiradoras, como a Rafa Cappai, a Leticia Mello do Do for Love, entre tantas outras, inclusive a irmã da Diulie, a Aline Tavares.  Foi assim que adentrando no mundo do empreendedorismo criativo e do autoconhecimento aquele sonho adormecido passou a fazer sentido, sim! Lá foi a Diulie para um evento chamado Empreenda com Propósito, em 2016. Depois do evento, chegou em casa, muito empolgada e se juntou com o Rafa para desenharem o projeto de educação ambiental itinerante, que a essa altura era o sonho de ambos. Assim, nasceu o Sou do Mar, com logo e tudo.

Foram mais 6 meses de elaboração do que seria o Projeto, ainda em moldes muito acadêmicos. E foi então que em janeiro de 2017, a Diulie participou do Decola Lab, uma mentoria on-line da Rafa Cappai, e assim tiveram o último empurrão para concretizar o projeto, já com o nome atual Somos do Mar. Decidiram começar onde estavam, com o que tinham e por sincronicidade logo surgiu a primeira oportunidade de trabalho. Foram convidados para a Semana do Meio Ambiente de Bombinhas. Foi um mês para colocar para fora todas as ideias, montar os instrumentos de ensino aprendizagem, e bolar a oficina. Dia 05 de junho de 2017, acontecia a primeira ação do Somos do Mar e de lá nunca mais parou.

 

Tudo vem fluindo lindamente. Rafa e Diulie são uma dupla e tanto. O projeto não existiria se não fosse a conexão dos dois, que se complementam. O universo conspirou! Como disse Gothe, quando você se compromete com uma ideia, todo o tipo de ajuda inimaginável, acontece para que ela se realize. Foram precisos mais 2 anos valiosos, onde Rafael e Diulie se tornaram as pessoas que precisavam ser para que o projeto original se concretizasse. O Somos do Mar Itinerante. Com certeza muitas outras histórias estão por vir... 

Agradecemos imensamente a todos que contribuíram e contribuem de alguma forma para a concretização desse projeto! Sozinhos não teríamos chegado tão longe.